20 novembro 2011

Por dentro de Florença


Firenze ou Florença... não importa! É uma das cidades mais lindas não só da Itália, mas do mundo. 

É difícil descrever a emoção que senti durante os dias em que fiquei lá. Na verdade, por algumas vezes chorei... chorei de alegria, de prazer, de encantamento e ao agradecer a Deus por me permitir viver aqueles momentos, com os quais tanto sonhei.
Sou amante das artes e da história, mas sou apaixonada pelos renascentistas. Sem dúvida, a primeira visão do Duomo com a cúpula de Brunelleschi, símbolo da cidade, é de imensa perplexidade... apreciar David de Michelangelo, O Nascimento de Vênus e Primavera, de Botticelli, O Rapto da Sabina e Hércules e Nesso, de Giambologna, cruzar a Ponte Vecchio, sentar num café na Piazza della Signoria de frente para o imponente Netuno... enfim, vou tentar passar um pouco, do que senti e trouxe na lembrança e nas fotos, para vocês. 


Vista a partir da Piazza Michelangelo
Vista a partir da Piazza Michelangelo 

Florença está para o Renascimento como Roma está para o Império Romano. A cidade é cenário para obras de grandes mestres deste movimento artístico como, Michelangelo, Leonardo da Vinci, Giotto, Botticelli, Raphael, Donatello, entre outros... afinal estamos falando do berço do Renascimento.


Catedral de Florença, Duomo de Santa Maria del Fiore
Duomo de Santa Maria del Fiore

Duomo de Florença, Catedral de Florença, Duomo de Santa Maria del Fiore

Fonte de Netuno na Piazza della Signoria, Florença
A Fonte de Netuno na Piazza della Signoria

Nós e a cópia do David de Michelangelo, em frente o Palazzo Vecchio



Desde o início do séc. 15 até meados do séc. 18 Florença foi governada pela família Médici, grande responsável pela propulsão do renascimento, sendo patrocinadora das artes, da construção de igrejas e museus. 

Florença é a capital da Toscana e a principal cidade da região, conserva um espetacular patrimônio artístico e arquitetônico medieval e renascentista que a transformou num dos principais destinos do turismo italiano. A cidade é também uma ótima base para se conhecer a Toscana. Estando a 3 horas de Veneza e 3 horas (1h30 de trem de alta velocidade) de Roma, chega-se de carro, ônibus ou trem (trenitalia.com). 

Se estiver de carro, como nós, precisará deixar o carro em um estacionamento público, caso seu hotel não ofereça um. Atenção especial deve ser dada aos sinais indicando que você está entrando na Zona de Tráfego Restrito (ZTL), que abrange a área do centro histórico. O acesso é controlado por câmeras de vídeo e você vai precisar de autorização prévia para entrar, se quiser evitar uma multa pesada. 

No nosso caso, o Hotel Maxim mandou um funcionário ao nosso encontro, em determinado ponto da cidade, que nos acompanhou até o hotel para que descarregássemos as malas, uma vez que fica no coração do centro histórico. Em seguida, se encarregaram de estacionar e só nos trouxeram o carro no momento do embarque após o check out. Esse apoio por parte do hotel é fundamental e você deve se certificar que é oferecido antes de fazer a reserva. O custo do estacionamento é em torno de 25 euros por dia, dependendo do tamanho do veículo. 


Hotel Maxim

Aproveitando que citei o Hotel Maxim, devo dizer que tem uma localização perfeita, na Via Dei Calzaiuoli, quase na Piazza del Duomo. 


Campanário do Duomo de Florença
Vista do Campanário a partir da janela da nossa suíte no Maxim

Chegamos em Florença tarde da noite e muito cansados, pois saçaricamos o dia todo pela Toscana. Fomos diretos descansar, mas não resisti e fiquei da janela da suíte por muito tempo apreciando o Campanário.
Aquela noite não dormi de tanta ansiedade para ver de perto todas as maravilhas que a tanto desejava ver. As seis da manhã, o sino de Giotto badalou tão forte no Campanário que me lembro como se fosse hoje...


Campanário com o sino de Giotto
Duomo, Campanário e Batistério


Florença está situada na planície do rio Arno, mas encravada entre as montanhas, rodeada de cidades, aldeias e paisagens surpreendentes com atmosferas medievais e os esplendores do Renascimento. Em uma sucessão contínua de colinas verdejantes e férteis, o território é extremamente variado e rico em cores.

rio Arno, Florença
Vista do rio Arno e das colinas Toscanas, a partir da Galeria Uffizi

Vista a partir da Uffizi

Para descobrir Florença e seus encantos, você deve reservar de três a quatro dias completos, pois de outro modo não é possível desfrutar dos itinerários sinuoso através das ruas, praças, igrejas e museus, do centro histórico, reviver memórias históricas, lendas e atmosferas que durante séculos têm encantado quem visita esta terra maravilhosa de luz e arte. Entretanto, se você não dispõe deste tempo ou não é do tipo que se interessa a fundo e só quer ter uma bela recordação da cidade, aproveite o tempo que você tiver para ver os monumentos principais - que mostrarei neste e em outros posts. 


Campanário do Duomo

Procure, assim que chegar a cidade, passar em um escritório oficial de turismo para pegar um mapa completo da cidade e uma lista atualizada dos dias e horários de abertura das atrações, pois mudam com muita freqüência. Outro detalhe a observar é quanto a numeração, pois existe uma nera (negra) para residências e outra, rossa (vermelha), para estabelecimentos comerciais. O 11n de uma rua pode estar ao lado do 59r... Cuidado, portanto, para não se enganar com as distâncias, principalmente se estiver a pé. 

O magnífico trabalho em mármore do Duomo de Santa Maria del Fiore

Cúpula do Duomo de Florença
Vista lateral do Duomo com a Cúpula em evidência

Detalhe da fachada do Duomo

A parte turística encontra-se preservada no centro histórico e residencial fica mais ao sul da cidade. Florença é facilmente percorrida a pé, dispensando o uso de carro, que a rigor não circula pelo centro histórico, a exemplo de outras cidades. 

Batistério da São João, Florença
Batistério da São João

 Portas do Paraíso de Lorenzo Ghibert para o Batistério, Florença
As Portas do Paraíso de Lorenzo Ghibert para o Batistério

Piazza della Signoria, Florença
Os cafés da Piazza della Signoria

Um dos passeios mais bonitos e românticos para fazer em Florença é percorrer, com tempo e calma, as margens do rio Arno. Dos dois lados você tem belíssimas vistas da cidade, com seus palácios, igrejas, torres e pontes, especialmente a Ponte Vecchio. A melhor hora para esse passeio é o fim da tarde, para ver o pôr do sol. 


A Ponte Vecchio, um dos principais cartões postais da cidade

Nós e o pôr do sol no Arno

Rio Arno, pôr do sol, Florença


Florença também é famosa por seus sorvetes ou gelattos, cujos preços variam de 1 a 3 euros. Nada como passear pela cidade se refrescando com os deliciosos gelattos, e como os sabores são de uma variedade anormal... tive que fazer esse "sacrifício" varias vezes ao dia.  A verdade é que qualquer um é maravilhoso, mas não conseguia abrir mão do de pistache... acabava pedindo duas ou três bolas para incluir meu favorito. Em maio, a cidade florentina se transforma na capital mundial do sorvete, graças ao famoso Festival Firenze Gelatto.


Gelatto, Florença
As gelaterias estão por toda parte... uma tentação!!!


A cidade tornou-se célebre, também, por ser a cidade natal de Dante Alighieri, autor da "Divina Comédia", que é um marco da literatura universal. Neste poema ele descreve a cidade de Florença em muitas passagens, assim como alguns de seus contemporâneos florentinos célebres, que também são personagens da obra.


Casa de Dante Alighieri, hoje um museu

A cena cultural florentina representa ainda um capítulo vivo do renascentismo italiano. O movimento artístico, que nasceu em Florença e se espalhou pelo resto da Europa entre os séculos 14 e 16, continua muito bem conservado nas igrejas, museus e galerias de arte locais. Os afrescos, telas e esculturas foram eternizadas pelos grandes mestres renascentistas: Michelangelo, Leonardo da Vinci, Donatelo, Raphael, Botticelli... O legado cultural passa ainda pelos escritores Dante Alighieri e Maquiavel. 


Acima de tudo, Florença é um museu a céu aberto, basta você se deixar levar pelas ruas da cidade e se perder no tempo do Renascimento! 


Veja também: 


O Duomo e a espetacular cúpula de Brunelleschi

Florença - Luxo na Hospedagem

Praça Michelangelo, pôr do sol imperdível!

Piazza della Signoria

Marzocco, um dos símbolos da cidade

Itália - arte, cultura, história, beleza e muito mais...

A Grande Sinagoga



"Estar em Florença é estar dentro de um quadro... é fazer parte da cena de uma obra-prima." Kátia Braga